Open Banking no Brasil: quais os próximos passos?


No último ano, o Brasil passou pela implementação do sistema de integração de dados entre instituições financeiras: Open Banking. O projeto foi trabalhado em quatro fases que aconteceram de forma escalonada ao longo deste período.


Com a implementação da última fase neste fim de ano, o país amplia as possibilidades para a personalização no oferecimento de serviços digitais por intermédio das instituições financeiras.


O projeto, que já é o maior no mundo segundo o diretor do Banco Central do Brasil, evoluiu mais rápido do que o esperado nas fases passadas, e tende a trazer resultados para os consumidores já no segundo semestre de 2022.

A quarta Fase e o open Finance

A quarta e última fase do projeto, que deve acontecer até março do próximo ano preparará o terreno e evoluirá o processo para processo que agora será conhecido como open finance.


O open finance expandirá o compartilhamento de dados para outros setores, como seguradoras, corretoras de investimentos, câmbio e previdência, aumentando as oportunidades de criação de serviços mais customizados para os clientes.

Impactos nos investimentos

Além da facilitação no que diz respeito a portabilidade de dados e da maior concorrência entre empresas portadoras de crédito, outro setor que se beneficiará será o de investimentos. A democratização dos serviços financeiros facilitará o processo de análise de dados e a descentralização na gestão de ativos.


Espera-se, em troca, um grande investimento do mercado: em plataformas inovadoras que possibilitem a fácil visualização produtos e serviços financeiros, no estilo marketplace que já estamos acostumados.


O Bacen está estudando também a implementação de uma moeda digital, no formato das criptomoedas, marco que poderá expandir também a relação econômica internacional.


Este é apenas um passo para o quadro geral tomar a forma esperada, porém existe muita ansiedade ao tomar como base processos de aberturas de compartilhamentos de dados em países pioneiros, como a Inglaterra e a Austrália, e enxergar os resultados positivos para a expansão econômica.


A tecnologia modificou o modo como nos comunicamos, como trabalhamos e mudou também o modo como cuidamos do nosso dinheiro. A FacilitaPay trabalha com um ecossistema de pagamento totalmente integrado com seus clientes, e está a cada dia mais preparada para contribuir positivamente com as mudanças que as inovações no sistema financeiro nacional e internacional estão trazendo.

5 visualizações0 comentário